17 de janeiro de 2013

Conta de motel

Era sexta-feira, cidade pequena, os mesmos lugares e as mesmas pessoas. Eu propunha ao meu namorado fazer algo diferente, sugeri um motel. Engraçado foi perceber a primeira reação de espanto com a proposta, ele nunca ouviu aquelas palavras saírem da boca de uma mulher, ainda mais uma mulher que até então só tinha sido dele.
Confessei que antes tinha insegurança sobre o assunto. Nunca tinha ido a um lugar assim, pois tinha medo que alguém me reconhecesse, e você sabe... Não dá pra saber quem passou por esses lugares (ou que doenças carregam). Mas meu amado explicou-me que era totalmente seguro, privado e higiênico. Depois de alguns minutos de indecisão, dele, é claro, tomamos rumo ao motel.
Chegando lá tudo ocorreu normalmente. Entre minhas pernas e seus braços, entre nossos suspiros, os meus gemidos, nosso suor e saliva. O mundo parou! Usufruímos de tudo naquele quarto. Não importa quantas pessoas já passaram por ali, quantos gozos e jorros tiveram gosto naquela cama. Fizemos daquela noite o mais épico entretenimento.
Mas aconteceu o vergonhoso e desastroso empecilho: Ele estava sem o cartão de crédito, e as notas que continham na carteira dele juntando com as minhas não cobriam nem a metade da conta. O que faríamos? Ah, meu cartão de crédito. Eu poderia facilmente pagar e depois receber o dinheiro. Mas como, se meu cartão é adicional do meu pai? Antes mesmo de chegarmos à cidade ele receberia um mensagem confirmando a transação. Com que cara meu namorado e eu iríamos encarar meus pais e explicar que fomos a um motel?
Bom, ou pagava ou lavava lençol suado do sexo dos outros. Paguei! Já em casa no dia seguinte, eu estava pavorosa, desconfiada até mesmo da minha própria sombra. Pensei em apagar a mensagem do celular antes que Painho visse, de nada iria adiantar, quando a fatura chegasse ele ia ver. E viu, cerca de 10 dias depois. Sentamos papai, mamãe e eu - a mais nova vadia da família - pra aquela tal conversa constrangedora que as famílias conservadoras sempre preparam, parece ensaiada por anos. Estava eu num belo encontro com o moralismo.
Nervosa, tentei explicar o acontecido e até ressaltei que iria receber o dinheiro, mas meus pais não quiseram saber. A mãe coitada, aleatória a vida achou que a filha estava perdida, tinha se entregado as más influências mundanas. Painho, apenas ignorou a reação de minha mãe, passou batido pelas minhas palavras e exprimiu sua opinião em frases muito curtas:
- Se ele vai te levar a um motel, que ao menos tenha a dignidade de pagar a conta. Mulheres não podem jamais pagar a conta de uma foda.
Sem movimentos bruscos ou reação exagerada, eu, então mulher de corpo e alma, me direcionei ao meu pai, fui a mais direta que pude:
- Mulheres sempre pagam a conta de uma foda. E não é de hoje! Somos nós que pagamos quando o sexo for ruim, ou se vocês não tiverem a competência e broxarem. Afinal o problema está na mulher que não sabe seduzir... Nós pagamos na língua de vocês se algo der errado e uma nova criança surgir. E ainda assim, temos que abaixar a cabeça e esperar um convite a um motel? Pra que recusar sutilmente? Pra que ir esperando? Pra ter uma conversa "ingênua" e jogar gamão a noite toda? Não comigo!
Eu transei, eu paguei.

Atenção: Esta obra é fictícia.
Texto escrito por Vanessa Barbosa e revisado por Thasio Sobral.

44 comentários:

  1. Me ha encantado este Relato.
    Um abraço e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracías Pedro.
      Tengo un recadito para tu.

      Excluir
  2. Maravilhoso conto, eu amo contos e ainda mais do género. Fantástico Vanessa.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Cláudia! Adoro os seus contos.
      Beijos querida.

      Excluir
  3. Amei o texto. Penso exatamente assim. um bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Rafaela! Seria ótimo se todas as mulheres pensassem assim, rsrs.
      Beijos.

      Excluir
  4. Gostei do texto, Vanessa. E infelizmente o machismo ainda impera na sociedade. O pior é quando o machismo vem de mulheres. Mas eu assino embaixo do que foi dito. Bjsssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Sérgio, esta é a pior face do machismo, quando ele consegue atingir mentes femininas, que se submetem as suas regras.
      Um beijo querido.

      Excluir
  5. Geeeeeente! Amei esse texto, a conversa familiar no desfecho que me deixou mais contente pela leitura.
    A coragem da personagem de enfrentar os pais, e defender nós mulheres! Adorei mesmo.

    Beijos.
    http://www.quaseatoa.com/

    ResponderExcluir

  6. Muito bom, Vanessa.
    A situação foi mesmo bizarra e desagradável, pois nenhuma garota quer tornar público para os pais a sua ida ao motel com o namorado. É constrangedor. Mas antes da ida ao motel o casal deveria ter o cuidado de conferir a carteira, né não? rsrs
    Corajosa ela ao expressar sua posição diante do pai.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bota desagradável nisso. Rsrs não é? Conferir a carteira sempre!
      Beijo.

      Excluir
  7. Muito massa esse conto. Parabéns!!
    Beijos e tenha uma boa semana gata.
    http://iasminsilva.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada flor, tenha uma semana ótima também.

      Excluir
  8. Olá Vanessa!

    Gostei muito de ler o teu conto, mesmo sendo fictício. Está muito bom e transmite uma mensagem muito importante, além de as mulheres terem desejos e fantasias sexuais, são mais responsáveis que os homens, pagando sempre a factura.

    Beijos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    P. S. - Convido-te para a comunidade Escritores Criativos da qual sou proprietária:

    http://plus.google.com/u/0/communities/118275103014865235924

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, é fictício, mas eu não duvido que aconteça na vida real isso de os pais quererem se impor de tal modo na sexualidade dos filhos.
      Muito bacana essa comunidade, vou participar.
      Beijos.

      Excluir
  9. Gostei.

    Obs:apesar de muito ocupado vou fazer os possíveis por passar por cá.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Manuel. Passe por aqui mesmo, ficarei muito feliz!

      Excluir
  10. Oi Vanessa, posso sim participar desse momento especial para vc. Me explica o que devo fazer...bjinho

    ResponderExcluir
  11. Na pura essência do amor não existe distinção entre quem faz coisa ou outra por força da união proposta por ele.

    ResponderExcluir
  12. Respostas
    1. Obrigada Tatá!
      Beijão flor e tenha uma semana maravilhosa.

      Excluir
  13. Adoro quando o fictício te faz crer que é real. Gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não seria essa a intenção? Se fosse superficial, ninguem gostaria, rsrs.
      Beijos.

      Excluir
  14. Por supuesto el día 21 me pasearé por tu mágico Espacio.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
  15. Pues muy bien; vamos a ver si me sale una Poesía improvisada...Ahí va, espero que te guste.

    ¡¡¡Parabens Vanessa
    por este cuarto Aniversario!!!
    Tu blog embelesa
    por su Hermosura a Diario.

    Divina Feminilidade.
    Maravilloso Espacio.
    Siempre Tu Dulzura invade,
    visitando Tu Virtual Palacio.

    ¡¡¡Parabens!!!¡¡¡Felicidades!!!
    Espléndidos 4 añitos de tu Precioso Blog.
    Um abraço e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracías Pedro.
      Es muy hermoso, yo soy feliz. Mañana vienen echa un vistazo a la publicación.

      Excluir
  16. Há um tempo atrás que não me lembro exatamente quanto, eu estava procurando alguns blogs para o meu blogroll e também para que eu lesse sempre para me espelhar e aprender algumas coisas sobre blogs. Enfim, em uma dessa andanças, passeadas, não sei como cheguei aqui no Divina Feminilidade. De primeira, me encantei logo com o nome e a foto. E coloquei na lista de blogs lidos do meu blog, por que realmente acompanho e gosto bastante dos textos de Vanessa. São textos, claros, concisos e me identifico muito com o blog por ter um perfil próximo do meu blog. É isso, já me alonguei demais, espero que venham muitos anos.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuuito obrigada Rafaela, fiquei muito feliz. É por leitores como você, que procuro sempre melhorar.
      Beijos.

      Excluir
  17. Oi Vanessa

    Acabei de ler seu recadinho e fiquei muito feliz por você estar comemorando 4 anos do blog, uma marca para parabenizá-la muito, pois não é fácil conciliar a vida offline com a administração de um blog de sucesso como o seu. Parabéns!


    O blog Divina Feminilidade é um espaço leve, que nos atrai pela variedade e pela forma inteligente e delicada de expor os assuntos. O olhar sensível e a forma carinhosa com que você se expressa e se comunica com seus leitores a tornam uma amiga que desejamos ter por aqui por muitos e muitos anos mais.
    Parabéns Vanessa, vida longa ao Divina Feminilidade!

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vaaan, que felicidade você ter conseguido participar, rsrs.
      Fiquei emocionada com o que escreveu, mas vou deixar as lágrimas para amanhã, pois como você disse, 4 anos é uma marca importante.
      Beijão querida.

      Excluir
  18. Desculpe, mas pelo texto concordo com seu pai..isso sou muito conservadora e fazem parte da educação, gentileza do homem..claro que lendo o contexto todo é diferente.
    Bom espero que ainda de tempo de escrever sobre o blog:
    Vanessa, sempre te acompanho e gosto muito dos seus textos, leva à refletir, pensar..no seu aniversário do blog, desejo que a cada dia possa nos presentear com seus posts e que a cada ano que passa mais pessoas possa conhecer e usufruir desse seu canto. Parabéns. Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é meu pai :O esse texto é fictício, rsrsrs.
      Mas entendo sua posição... Só não acho que machismo e gentileza caminhem juntos.

      Eu adorei sua mensagem e já inclui no post. Beijos querida.

      Excluir
  19. Cantinho lindo e aconchegante,voltarei smp aqui õ/

    http://joicy-santos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. put'z, interessantíssimo como sempre! parabéns e continue o excelente trabalho :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rafael! E quero ver voce sempre por aqui, fazendo o trabalho comigo.
      Beijos!

      Excluir

Comente, você também faz parte deste blog. Divina Feminilidade agradece seu carinho.