26 de outubro de 2012

Sobrevivência

Olá meus amigos, hoje é post rapidinho.
Eu vi esse texto numa homenagem a uma linda jovem que faleceu e achei ele tão tocante. Ao procurar a autoria na internet, não achei, mas vi que é muito conhecido e citado. Posto aqui pra deixar uma breve reflexão a todos nós sobre nossa passagem pela terra, para que possamos compreender a melhor forma de se levar a vida, talvez não a melhor forma, mas sim a que nos deixa de consciência mais tranquila.

Nem sempre que alguém sorrir será de felicidade. Nem sempre que alguém chorar será de tristeza. Nós escondemos as coisas nos calando, mas em nossos olhos podem-se ver tudo aquilo que tentamos esconder,  tentamos nos afastar, mas sentimos falta e voltamos, agimos por impulso, nos arrependemos. Quanta coisa se passou, quanta coisa vivida, sentida, apagada, lembrada… Na memória. Quanta história pra contar, quanta lágrima derramada, quanta lágrima escondida. Tanta dúvida que sentimos. Quantas vezes fingimos alegria ou deitamos sem a intenção de dormir. Muitas frases foram ditas, algumas são esquecidas, poucas serão lembradas. E os "eu te amo" jogados ao vento, sem sentimento, sem razão. Quanto tempo perdido, desgastado. Fazemos de tudo para tentar sobreviver a uma esperança de amor ou uma mentira de que isso aconteça. As aparências são apenas aparências, nem tudo do que parece é. Não acredite em tudo que lhe dizem, mas não saia duvidando de tudo e de todos.

P.S. Quem souber o nome do autor(a), me dá uma chamadinha, pode ser por aqui ou pelo facebook. Ah, outra coisa gente, quando forem me adicionar no facebook por favor se identifiquem dizendo que é leitor do blog ou escreve em tal blog. Infelizmente recusei muitos pedidos lá por não ter a mínima ideia de onde as pessoas surgiram. Beijinhos.

4 comentários:

  1. Siempre hay que mantener un punto intermedio. Ni desconfiar de todo y todos, ni tener la absoluta confianza, sabiendo que las Apariencias engañan y envuelven.
    Un abrazo.
    No conozco al autor de este Texto.

    ResponderExcluir
  2. Tbm desconheço o autor, Vanessa. Mas a mensagem é simples e bonita: meio termo e bom senso não fazem mal a ninguém!

    um bjo.

    ResponderExcluir
  3. Uma boa reflexão, viver hoje em dia é quase um risco, nunca se sabe com quem estamos lidando e os eu te amo e as amizades nem sempre são verdadeiras.

    Como já dizia Jorge Ben Jor:

    Olha aí meu bem
    Prudência e dinheiro no bolso
    Canja de galinha
    Não faz mal a ninguém...

    Abraços

    ResponderExcluir

Comente, você também faz parte deste blog. Divina Feminilidade agradece seu carinho.