12 de dezembro de 2012

Da série: #Acaba não Mundão! e outros esclarecimentos.

Meu queridos, recentemente eu fiz um post sobre o fim do mundo, quem não leu é só clicar aqui, e em seguida fiz uma enquete na fanpage do blog. Bom, o que eu percebi foi que como em qualquer assunto, as opiniões foram muito divergentes, mas o que chamou mais minha atenção foi a falta de vontade de refletir sobre o assunto e não estou falando sobre crenças, misticismo e religião, logo mais vocês entenderão. Eu particularmente não acredito no fim do mundo, faço muita piada com isso, mas mesmo assim não deixo meu senso crítico adormecido, não me anulo diante das notícias.
A minha intenção era trazer um debate divertido e produtivo, em que pensar no fim do mundo não se limitaria a declarações como "Ah, já vi esse filme antes, não vai acabar" ou até "No Brasil foi cancelado, falta estrutura". O meu desejo mesmo era instigar e buscar respostas a perguntas do tipo "Todos falam do tal fim do mundo e o que fazer até ele chegar, mas será que alguém parou pra imaginar se ele não chegar?" ou "As pessoas fazem lista do que realizar antes do fim do mundo, mas ninguém nunca fez uma lista do que mudar caso o fim não ocorra esse ano?".
É bem isso que eu tentei fazer pessoal, uma análise do nosso comportamento, muitas pessoas responderam a enquete com a seguinte frase: "Vou continuar vivendo e só". E só? Como assim? Será que não é possível enxergar a oportunidade de iniciar uma nova fase? Não estou aqui tentando introduzir as perspectivas de ano novo e todas aquelas promessas infundadas que fazemos na virada de ano, estou tentando induzí-los a ver que a sociedade está programada para pensar dessa forma: "Se acabar, tranquilo, pelo menos não sou só eu que vou morrer, se não acabar, ótimo, vou continuar com minha vidinha nada marota".
Desculpem se minhas palavras estão soando agressivas demais, mas é preciso dize-las. Outras respostas que recebi também foram do tipo: "Vou ganhar presente do papai noel no dia 25", "Começar a pagar minha aposentadoria. Porque não nasci pra acordar cedo todos os dias" e muitas outras citações que mereciam destaque mas o post vai ficar muito grande. Eu realmente entendo a falta de interesse em analisar nossa sociedade, ela está a cada dia mais deprimente. No entanto, que tal fazer uma investigação em si próprio? Tentar enxergar neste possível fim do mundo - que como eu disse lá no início, não creio que vá acontecer pelo menos esse ano -  uma nova fase, uma oportunidade de repensar seus atos? Talvez este fim, seja referente ao fim de uma sociedade incrédula, de um mundo atoa, que não mede consequencias. Após o dia 21 de dezembro, pode haver sim um novo começo, mas para que isso ocorra, as mudanças precisam começar primeiramente na nossa cabeça. Embora, todo esse rebuliço que ocorreu ao tocar no assunto, tive exemplos muito bons de como dar um up nessa mística, vejam só:
"Seguir minha vida, mas com muito mais vontade e coragem de viver."
"Vou continuar aproveitando a minha vida, estudar pra me formar e ser uma boa profissional, vou viajar, conhecer lugares novos, cuidar dos meus pais, passear com os meus cachorros, formar uma família.. Vou fazer de tudo para ser cada dia mais feliz!"
 "Eu espero sinceramente que o mundo de injustiças, mentira e violência acabe! E que venha uma nova era de amor, paz e respeito pelo semelhante."
Quem reconhecer suas respostas nos exemplos, não se ofenda por favor, coloquei com boas intenção, quem sabe vendo por um novo ângulo você mesmo, que não se interessou muito pelo assunto, consiga visar diferente. E só pra constar hoje é o dia 12/12/12 e nada absurdamente astronômico vai acontecer, ok?

21 comentários:

  1. As mudanças precisam partir de nós mesmos, Vanessa. Mas, também, principalmente dos nossos governantes. Bela reflexão você propôs. Li uma frase muito interessante a respeito: "Não tenho medo do mundo acabar no dia 21 e sim dele continuar do jeito que está". Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima frase Sérgio, vou admitir que também tenho esse medo, de não ver acontecer a mudança... É por isso, que nós precisamos nos modificar um pouco a cada dia, já que não temos o poder nem o direito de modificar as cabeças alheias, vamos modificar a nossa.
      Beijos querido, maravilhoso final de semana pra vc.

      Excluir
  2. A questão é que as maiores teorias sobre o fim do mundo existem exatamente porque as atitudes não contribuem para que o mundo permaneça existindo.

    Outro dia vi uma matéria no Fantástico falando da produção de barreiras em diversos países europeus para que o derretimento das geleiras não os afetasse. Fiquei pensando, mas não seria melhor trabalhar o não derretimento acelerado das geleiras ou trabalhar as 2 coisas juntas?????

    Não penso no fim, mas não gostaria de viver e ver o fim. Quero ver novas atitudes, novos começos!!!

    Beijos, ótimo post!

    Ah, o blog agora tem uma página no facebook, espero você por lá:
    http://www.facebook.com/pages/Liste-Realize/130742933750171

    Beijos,
    Pâmela Rodrigues
    http://listerealize.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Pamela, se as pessoas tivesse uma visão diferente não existiria tanta polemica e tanto buxixo sobre esse assunto. Ficaria muito mais fácil compreender que é preciso criar novas atitudes causais e não soluções para as consequencias.
      Vou lá no facebook, beijinhos ;*

      Excluir
  3. Acredito Vanessa, que as pessoas não pensaram como você em relação ao seu post..renovação e reflexão é algo que sempre fazemos nessa época, apesar que eu acho que deve ser contínuo nossas reflexões e mudanças de comportamento. Abraços. Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho certeza disso Sandra... é uma pena. Não sou ninguém parar querer mudar mentes, mas me sinto no direito de tentar expandir minha visão, de repassar minhas ideias.
      Beijos, ótimo final de semana.

      Excluir
  4. Vanessa, meu anjo, eu acredito que essas pessoas estão com os dias contados, e não o mundo. O que vai acontecer é que a humanidade está dando passos em outra direção e esse tipo de pensamento não caberá mais.
    O mundo precisa evoluir, e não acabar.

    Um grande beijo, lindona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paty, finalmente alguem que pense como eu. Eu realmente acredito que está surgindo uma geração mais humana, mais ligada a sentimentos, preocupada com o meio ambiente e a sociedade, as novas gerações estão vindo assim. E esse tal fim seria o fim de um clico e não propiamente do mundo.
      Beijinhos

      Excluir
  5. Oi Vanessa ! que massa seu blog, adorei mesmo,já vai pra minha lista de leitura,obrigada pela visita
    volte sempre e sempre
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço Yasmine, seja muito bem vinda.
      Beijos.

      Excluir
  6. OLÁ, VANESSA, PRAZER ENORME ESTÁ AQUI NO TEU ESPAÇO PARA AGRADECER PELA VISITA AO MEU CANTINHO E PELO COMENTÁRIO, PRA MIM É MOTIVO DE ALEGRIA.
    DEIXO MEU ABRAÇO E O CONVITE PARA QUE VOLTE SEMPRE QUE QUISER.
    VOLTAREI AQUI COM MENOS PRESSA E CLARO ESTAREI ACOMPANHANDO SEUS POST...OBRIGADA E JÁ ESTOU TE SEGUINDO!!!
    BEIJOS!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico agradecida Marylú, volte sempre.
      Abraços.

      Excluir
  7. Olá Vanessa. Vim retribuir a visita e o carinho que tens tido lá no blog. Muito legal ter vc por lá. Já estou te seguindo e sempre que der estarei por aqui dando pitaco...agora vou "fuçar" um pouco mais no teus posts.
    Bjs e ótimo restinho de semana.
    Bjs
    Daca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço Daca, pelo carinho retribuido. Seja bem vinda aqui, venha compartilhar comigo a visão feminina no mundo. Beijos querida.

      Excluir
  8. Meus amigos andam numas de não fazer resoluções pra 2013 pq o mundo vai acabar... eu acho palhaçada. Óbvio q vou fazer minhas resoluções, acabe ou não o mundo! Beijos da Taís.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa de fazer resoluções é bem pessoal, é muito interessante faze-las quando estamos ciente do que podemos ou não cumprir. Estar com os pés no chão e saber que o mundo não vai acabar e a partir disso tentar mudar e não simplesmente estagnar como seus amigos estão fazendo.
      Beijos flor ;*

      Excluir
  9. Mais um blog fantástico que encontrei pelas minhas viagens ao mundo virtual.

    Já agora quanto ao assunto, não me incomoda este suposto "Fim" do mundo, pois não há nada mais firme, certo e confiante que estar nos pés do Senhor, pois Ele é o único que conhece tal dia e quem com ele está sabe que gozará alegria.

    Beijos;
    Cláudia Cassoma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Laudy, teu blog também é um encanto.
      Com certeza, Deus é o único que pode controlar o início e fim de qualquer coisa na terra.
      Beijos.

      Excluir
  10. Oi Vanessa curti muito seu blog, interessante seu post, é complicado mesmo observar em volta e perceber que as pessoas andam como se estivessem o no piloto automático, aliás impressionante não assustador. E o seu post sobre o fim do mundo foi só uma pequena amostras desse comportamento em massa que presenciamos no dia-a-dia por aí. Me canso de pessoas que estão sempre "vivendo por viver" digamos assim...

    Espero ter me feito entender.
    Adorei sua visita já estou
    seguindo aqui, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberta, é assustador mesmo. É preciso um evento extra, pra enxergarmos como agimos no dia a dia. Só que mais assustador ainda é perceber que muitas vezes o erro é mantido, é como se mudar não fizesse parte do caminho.
      Te compreendi perfeitamente.
      Beijos

      Excluir
  11. Oooi!
    Tema bem polêmico esse. Não acho que o mundo uma hora vá acabar. O mundo se transforma o tempo todo e nós, seres viventes nele, também.
    Na minha opinião o mundo não acaba nem para quem morre, pelo contrário. Do outro lado é que é o mundo real.
    Mudar é a palavra a todo momento. Não só quando estamos nessa de fim do mundo ou quando o ano está acabando. Mudar é sempre necessário, mas que se mude para o bem.
    Bejus

    ResponderExcluir

Comente, você também faz parte deste blog. Divina Feminilidade agradece seu carinho.