14 de abril de 2013

Amar-te, Matar-me.

Amar-te foi um crime
Um assassinato aos meus valores
Uma tortura às minhas entranhas
Ardor alucinante, que já foi amor
Queimou, virou pó, vento levou
Hoje, queimo tuas fotos
Estraçalho garrafas de vinho
Dos cacos faço minha cama
Dor estranha é o libertar
Pior ainda é te amar
Por isso, hoje apago tuas mensagens
Trato de esquecer teu telefone, celular, email, facebook
Tudo isso sei de có, que adianta apagar?
As provas do crime se vão pelo ralo
É sangue rolado de bom grado
Lágrimas já não me rasgam a face
Sou eu quem rasgo as tuas cartas
Tuas cantadas baratas
Vai-te embora!
Antes que o guarda me solte
Antes que as grades corroam pelo meu amor ácido
Protege-te! Ou me protege...
De simplesmente te amar!

Vanessa Barbosa.

8 comentários:

  1. Uau! Inspirada, hein?
    Muito lindo!!
    Melhorou??
    Um ótimo domingo pra ti!

    Bejus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrs, obrigada Naty! Temos que aproveitar esses momentos de inspiração né?
      Beijinhos flor.

      Excluir
  2. "Basta amar, para se deixar de ser livre"

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será Manuel? O amor de fato liberta, mas e as pessoas que amam? Será que todas sabem dar essa liberdade?
      Um beijo!

      Excluir
  3. inspiradíssima mesmo :))

    Muito bom Van!!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vandinha, que saudades *-*
      Beijão!

      Excluir
  4. OLA
    MUITO BOM.... FAZ REFLETI!!!!!
    UM GRANDE BEIJO

    http://www.gostandodavida.com/

    ResponderExcluir

Comente, você também faz parte deste blog. Divina Feminilidade agradece seu carinho.